Por que hábitos de estudos?

Nós já falamos sobre o estudo voltado ao conteúdo programático do edital (avançar no edital). Agora vamos falar sobre as atividades classificadas no programa como HÁBITOS DE ESTUDO (avançar nos estudos).

Em um determinado momento, durante o desenvolvimento do software, nos deparamos com a necessidade de criar uma estrutura que abrangesse, entre outras atividades, “questões”, “revisão” e “leitura da lei seca”.

A opção mais óbvia era tratar essas atividades como um “tipo de estudo”, ou seja, durante o estudo do assunto “Ato Administrativo”, p.ex., o tipo de estudo seria “revisão” “questões”, etc.

Ocorre que lendo muitos, muitos, mas muitos comentários de candidatos em artigos que tratavam sobre revisão, questões, etc., verificamos que a maior dúvida residia justamente entre conciliar o tempo dedicado a ver tópicos novos do edital do tempo dedicado a fazer essas atividades.

Assim, de plano, verificamos que era importante contabilizar o tempo dedicado ao CONTEÚDO PROGRAMÁTICO separado do tempo dedicado às atividades classificadas como HÁBITOS DE ESTUDO, para ressaltar que esse conflito, de fato, existe, e assim surgiram os HÁBITOS.

Em síntese, em nossa proposta, HÁBITO DE ESTUDO é:

toda atividade que precisa ser feita durante os estudos, mas que não esteja, necessariamente, vinculada ao conceito clássico de avançar no edital, através do estudo teórico dos tópicos por uma determinada fonte de estudo (material)

qualquer atividade que transmita uma sensação de que, ao fazê-la, naquele tempo dedicado a ela, um novo assunto poderia ser iniciado ou um assunto iniciado poderia ser concluído

Então, precisa fazer algo nos estudos e, ao fazê-lo, sentiu que, naquele tempo, poderia estudar um tópico novo do edital ou concluir um iniciado? Caso tenha sentido isso, dentro da nossa proposta, isso é um HÁBITO DE ESTUDO.

Assim, buscando identificar os hábitos, nós o classificamos em sete, nem todos compatíveis com todas as provas.

Eles são os famosos “fazer questões”, “revisar”, “ler a lei seca”, “simular a prova”, “ler informativos”, “ler súmulas” e “treinar discursiva”.

Veja, na prática, como funciona essa divisão do tempo no programa:

 

 

Conforme viram se você não fizer essas atividades o programa irá avisá-lo, ou melhor, dedurá-lo.

Entendi, mas por que eu não devo dedicar 100% do meu tempo livre para ver assuntos novos do edital se o edital é gigantesco? Qual a importância dessas atividades?

Esse tema falaremos no próximo artigo.